Aprender uma língua é mais que aprender um idioma

Quando penso em cultura e viagem, associando estes dois temas, lembro imediatamente do estudo de idiomas. Aprender uma língua é muito mais que simplesmente aprender o idioma de um determinado povo. Posso dizer isto porque todas as vezes que resolvi iniciar o estudo de uma nova língua, isto acabou me abrindo novas perspectivas e me levou a conhecer pessoas e lugares maravilhosos. A primeira decisão consiste na escolha do idioma. Se o critério for “relevância”, o inglês supera qualquer outra língua. Além de ser o idioma mais falado e estudado, tende a se tornar a língua universal, uma espécie de segunda língua de quase todas as pessoas da terra (quando não é a primeira, o que ocorre em vários países, como EUA, Inglaterra, Austrália, etc). Quando lembro do inglês, imediatamente relembro meus tempos de CCAA, especialmente quando era aluno do professor Lauro Lyra. Mas a decisão pelo idioma pode envolver outros aspectos, como preferências pessoais, afinidade, curiosidade, dentre outros. Tive algumas boas experiências com o espanhol e com o alemão. O primeiro, em decorrência de ter vivido durante dois anos na Espanha, onde fiz meu doutorado. É a língua estrangeira que mais gosto de ouvir. Disparado. Além da “facilidade” (embora enganosa), a língua espanhola permite ao brasileiro um trânsito fácil pela América Latina. Além disto, percebi que o espanhol é a segunda língua estrangeira mais estudada como tal em todo mundo. Tem muita gente matriculada nas escolas de espanhol pelo mundo afora. Recomendo àqueles que querem aprender espanhol na Espanha que experimentem Salamanca, a capital do espanhol. Cidade média, universitária, pulsante, com gente de todo o mundo. Em relação ao alemão, minha relação remonta aos anos 90, quando estudei no Espaço Cultural da UFAL, com os professores Ricardo, Irene e Guido. Bons tempos. Posso garantir que o alemão é muito mais fácil que as pessoas costumam imaginar. Tive a oportunidade de fazer um curso de férias em Munique, uma cidade linda, cheia de diversão e muita cerveja (como na foto). O alemão é ainda mais fácil se você já tem conhecimentos avançados de inglês (ambas são línguas germânicas. Recentemente, resolvi deixar de ser analfabeto em francês. Estou gostando, embora ainda esteja engateando neste idioma tão elegante. Para concluir, não esqueçamos de antes de aprender um idioma estrangeiro, cultivemos a nossa língua portuguesa, muitas vezes tão maltratada.