Amanhã começa o carnaval, pelo menos no Brasil. Nós brasileiros nos achamos meio que donos desta festa, embora ela se realize em diversos países do planeta. Inclusive o desfile em carros alegóricos, eleição da rainha do carnaval, o concurso de fantasias, os bailes de máscaras, etc não são manifestações culturais presentes apenas em solo tupi niquim. É só lembrarmos do elegante carnaval de Veneza ou das animadas festas em Las Palmas, Espanha (foto). Sobre a origem do carnaval, apesar das controvérsias, pesquisei na internet o seguinte: “No ano de 604, o papa Gregório I definiu que, num período do ano, os fiéis deveriam se dedicar exclusivamente às questões espirituais. Seriam 40 dias em que se deveria evitar sexo, carnes vermelhas e festas. Quase quinhentos anos depois, a irmandade católica definiu as datas oficiais da chamada ‘Quaresma’, e o primeiro dia dela se chamaria ‘quarta-feira de cinzas’.
Aconteceu que os dias antes dessa quarta-feira começaram a ser de intenso consumo de carnes, bebidas e de festa. A esse período deu-se o nome de ‘adeus à carne’, ou ‘carne vale’ em italiano, que, depois, passou a ser ‘carnevale’. A palavra virou sinônimo do que seria uma espécie de antônimo da Quaresma. “As ruas enchiam-se de gente fazendo tudo aquilo que não se devia ou não se podia fazer durante o resto do ano. […] O que dava o caráter especial ao carnaval era a grande concentração de brincadeiras num mesmo período, a proximidade com a longa abstinência com a Quaresma e o fato de a coisa toda ter dia e hora marcados para acabar”,

Aproveito para desejar a todos um feliz carnaval e para lembrar as palavras de Chico Buarque que “quem me vê sempre parado, distante, garante que não sei sambar, tô me guardando pra quando o carnaval chegar”

Anúncios