A língua portuguesa está se tornando uma língua internacional?

O interesse despertado pelo Brasil como nova potência econômica e cultural vem se refletindo diretamente no aumento de pessoas que vêm estudando o português como língua estrangeira. Neste universo, tanto há um grande número de escolas de português em funcionamento no exterior, como também dentro do Brasil. Aqui em Maceió, por exemplo, há algumas escolas de português para estrangeiros.

De acordo com a internet:

“Na última década, o número de inscritos no Celpe-Bras, exame de proficiência em português reconhecido pelo Ministério da Educação, saltou de 1.155 para 6.139. “A importância [do português] está crescendo, uma vez que o Brasil tem se destacado internacionalmente por sua economia considerada estável e suas relações internacionais. O valor de uma língua está extremamente associado ao mercado”, afirma Matilde Scaramucci, diretora do Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp”.

Aplicado em 48 países, o Celpe-Bras pode ser usado, por exemplo, por um executivo que queira comprovar a proficiência no idioma para atuar em multinacionais do Brasil ou por um estrangeiro interessado em estudar numa universidade brasileira. (…) O “boom” de estrangeiros fazendo cursos de português também é perceptível no exterior. O número de inscritos em centros culturais brasileiros custeados pelo Itamaraty e espalhados por diversos países subiu de 17,5 mil em 2004 para 31,7 mil no ano passado.” http://www.diarioliberdade.org/brasil/lingua-educacom/25527-cresce-procura-por-cursos-de-portugues-como-lingua-estrangeira.html

O português atualmente é a 6ª língua mais falada no planeta: 260 milhões de nativos e 25 milhões como segunda língua, totalizando 285 milhões de falantes.

É língua oficial em Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e na R.A.E. de Macau.

Segundo o wikipédia:

“Há também significativas comunidades de imigrantes falantes do português em muitos países como Andorra (15,4%), Austrália, Bermuda, Canadá (0,72% ou 219.275 pessoas segundo o censo de 2006, mas entre 400.000 e 500.000 de acordo com Nancy Gomes), Curaçao, França,Japão, Jersey, Luxemburgo (9%),Namíbia (4-5%),Paraguai (10,7% ou 636.000 pessoas), África do Sul, Suíça (196 mil cidadãos em 2008), Venezuela (1 a 2% ou 254.000 a 480.000 pessoas) e nos Estados Unidos (0,24% da população ou 687.126 falantes de acordo com o American Community Survey de 2007),principalmente em Nova Jersey, Nova York e Rhode Island.
Em algumas partes do que era a Índia Portuguesa, como Goa e Damão e Diu, o português ainda é falado, embora esteja em vias de desaparecimento”.

E mai:

“O português é também uma das línguas oficiais da região administrativa especial chinesa de Macau (ao lado do chinês) e de várias organizações internacionais, como o Mercosul, Organização dos Estados Ibero-Americanos,a União de Nações Sul-Americanas, a Organização dos Estados Americanos, a União Africana e da União Europeia.”

Vale ainda destacar que:

“O ensino obrigatório do português nos currículos escolares é observado no Uruguai e na Argentina. Outros países onde o português é ensinado em escolas, ou onde seu ensino está sendo introduzido agora, incluem Venezuela,Zâmbia, Congo, Senegal, Namíbia,Suazilândia, Costa do Marfim e África do Sul.”

E para o futuro? O que podemos esperar?

“Segundo estimativas da UNESCO, o português e o espanhol são os idiomas que mais crescem entre as línguas europeias após o inglês e o idioma que tem o maior potencial de crescimento como língua internacional na África Austral e na América do Sul. Espera-se que os países africanos falantes da língua portuguesa tenham uma população combinada de 83 milhões de pessoas até 2050. No total, os países de língua portuguesa terão por volta de 400 milhões de pessoas no mesmo ano”

Anúncios