Minhas cidades preferidas III. Munique

Estive em três oportunidades na capital da Baviera, Estado mais alemão e menos alemão da Alemanha. Podemos considerá-la o mais alemão pois lá estão presentes símbolos típicos do país, como as cervejarias, em especial, os Biergarten, os trajes típicos, os carrões de luxo. Por outro lado, a Baviera é o Estado menos alemão, porque as pessoas por lá são mais efusivas, fugindo do esteriótipo do norte, o alemão frio. Além disto, são católicas (quando a maioria do norte é protestante),

Munique é uma cidade muito bem conservada, com monumentos belíssimos, museus de primeira qualidade (Deutches Museum, Alte e Neue Pinakothek), a bela praça da Prefeitura (Rathaus, vide blog específico), igrejas barrocas (como a Ashamkirche), palácios (como o Nymphenburg Schloss), dois estádios maravilhosos (o Olímpico e o Alianza Arena), parques incríveis, como o Englischer Garten (o maior parque urbano da Europa) e o parque olímpico, que apesar de ter sido construído em 1972, ainda é considerado super moderno (infelizmente marcado pelo atentado ocorrido nos Jogos).

Munique é elegante, aristocrática. As pessoas se vestem muito bem, vão à ópera, ao teatro. Mas também é uma cidade vibrante, jovem, onde se bebe muita cerveja das mais diversas qualidades, nas mais animadas cervejarias. Sem falar na Oktoberfest (vide blog específico).

Por estas e outras razões, adoro Munique.