Importando ideias e projetos I. Teleférico para Maceió

A partir deste post, iniciarei uma série de discussões sobre ideias e projetos que deram certo em outras cidades e países, e sobre a possibilidade de sua implantação no Brasil, e em especial, em Maceió.

A primeira ideia que me veio cabeça seria a implantação de um teleférico em Maceió. Ideia maluca? Calma, deixe-me primeiro explicar como seria o projeto. Antes, falemos um pouco acerca dos teleféricos.

Teleférico é um meio de transporte aéreo em que cabines são deslocadas através de cabos. Embora em alguns casos sirvam para deslocamento de pessoas para regiões de difícil acesso (alto das montanhas, por exemplo), também são utilizados com a finalidade exclusiva de servir ao turismo, permitindo que as pessoas contemplem do alto vistas incríveis.

Conheci alguns teleféricos, o do Pão de Açúcar, em Bariloche, em Santiago do Chile, no Mosteiro de Montserrat (Espanha) ou em Campos do Jordão, que são utilizados para se ter acesso ao alto de montanhas. Neste caso, há uma estação na parte baixa, um cabo inclinado, e uma estação na parte alta.

Mas estive também em teleféricos em que as estações são torres construídas, o que permite a instalação de cabos no plano horizontal. Os exemplos mais claros disto são Teleférico do Parque das Nações, em Lisboa, que tem uma vista incrível sobre o Rio Tejo, e de Barceloneta, que tem uma linda vista sobre o Mediterrâneo em Barcelona.

Para se ter uma ideia de como um teleférico pode ajudar a desenvolver o turismo de uma região, no Brasil, o teleférico Laranjeiras, em Balneário Camboriú, inaugurado em 1999, já recebeu mais de 4 milhões de passageiros (leia-se, turistas). É interessante que este teleférico liga duas praias.

Assim, a ideia que gostaria de sugerir seria a implantação de um teleférico sobre a Enseada da Pajuçara em Maceió. Como se sabe, uma enseada é um acidente geográfico que consiste em uma entrada do mar, formando um U.

No caso, as pontas do U da enseada da Pajuçara são a Ponta Verde (no caso, o clube Alagoinhas) e a ponta de Jaraguá (no caso, o Porto do Jaraguá). Em cada uma das extremidades da enseada seria instalada uma torre, abrigando uma estação do teleférico. Detalhe: o turista poderia iniciar o passeio por qualquer uma das duas estações; poderia comprar um bilhete só de ida (ex.; Alagoinhas-Porto) ou ida-e-volta (imaginem um turista chegando de navio em Maceió, e já pegando um teleférico para a Ponta Verde, vendo o mar azul piscina da Pajuçara, a orla, as piscinas naturais, etc).

Como explorar este serviço? Através de uma concessão de serviço público. Haveria licitação para escolha do projeto e da concessionária; esta última ficaria encarregada instalar os equipamentos e explorar o serviço, cobrando dos usuários uma tarifa. O Município de Maceió (ou o Estado) se encarregaria de definir as regras e fiscalizar o serviço.

Maceió ganharia muito com este projeto, especialmente com a tão esperada reforma do Alagoinhas. O turismo de Alagoas teria um upgrade considerável e projeção internacional. A paisagem sobre a qual o teleférico passaria é única. Evidentemente, teriam que ser levados em consideração os aspectos ambientais, mas creio ser possível a instalação do teleférico com apenas as duas torres nas extremidades, que não comprometeriam o ecossistema marinho.

E então, pergunto: por que não este projeto em Maceió?