Empresas alagoanas tipo exportação

Tenho publicados alguns posts sobres ideias e projetos de outros lugares que poderiam eventualmente dar certo aqui em Alagoas (com as devidas adaptações e estudos de mercado, é claro).

Sem deixar o modelo acima, farei também o caminho contrário: tentarei mostrar experiências alagoanas que foram exportadas para outras regiões do país.

Mais precisamente, neste post, falarei sobre empresas criadas em Alagoas que expandiram seus negócios para outros Estados.

Recentemente, vi uma notícia relacionada à instalação da cafeteria Nakafa, de Maceió em Recife. Através do site skyscrapercity.com, mais precisamente, por intermédio do fórum de debates Guerreiros de Alagoas IV, propus que fossem listadas empresas daqui que atravessaram as fronteiras do Estado.

Naquele momento, lembrava das seguintes:

1) usinas de açúcar/álcool, como os grupos Tércio Wanderley e Carlos Lyra, têm atuação em outros Estados (creio que em MG, SP, TO, GO)

2) a Sococo atua também no Pará, comercializando seus produtos em todo o país, sendo considerada a maior indústria do gênero no país (provavelmente do mundo);

c) a Construtora Marroquim também atua no mercado paraense;

c) a construtora Delman atua também no Maranhão;

(Obs.: A Placic atua aqui e em Fortaleza, mas acho que ela surgiu no Ceará)

d) Cafeteria Nakafa em Recife;

e) Armazém Guimarães tem filial também em Recife;

f) Restaurante Takê em Salvador;

Os colegas do citado fórum de debates ainda citaram as seguintes empresas:

g) o Grupo Coringa (alimentos), com fábrica na Bahia (Luís Eduardo Magalhães);

h) o Grupo Vale Dourado (laticínios), também com fábrica na Bahia (Ipatetinga);

i) Lojas Guido (móveis), com filiais em Sergipe e na Bahia

j) O Restaurante New Hakata em Aracaju;

k) a Construtora Record também atua em Natal e Fortaleza;

l) O alagoano IBL (línguas) atua em 8 Estados, além de Alagoas (http://ibl-idiomas.com.br/?page_id=29);

m) A Abys (sapatos) também atua em Sergipe;

n) o Restaurante Parmegiano também tem filial em Aracaju;

o) o método System (de ensino de inglês) foi licenciado para empresas de outros Estados.

Como vemos, o empresariado alagoano tem sua força. É evidente que há mais exemplos que não consegui lembrar. Quem puder contribuir com este post, fiquem à vontade.