O alagoano Djavan fez diversas referências à terra natal nesta canção, muitas vezes tão desconhecida do grande público, mas que particularmente gosto muito. “Sururu de capote” traduz com muita singeleza as suas raízes, e tem na frase “em São Paulo é bom, mas como lá eu não digo, vou pegar o ônibus vou rever meu umbigo” uma demonstração de grande carinho pelo lugar que o viu nascer e crescer.

SURURU DE CAPOTE

Eh sarará é sucuri
Eh sarará de prajati
eis o siri-de-coral
sururu na casca é capote
no nordeste tem Santo Antônio, São Benedito
tem matrimônio de corpo invicto
quatro pimentas um prato feito
uma tapa na venta pra quem não comer direito
eh rapariga não se tortura
dor de barriga, cidreira cura
é na casinha que se faz
aquela mocinha tá ficando um rapaz
em São Paulo é bom, mas como lá eu não digo
vou pegar o ônibus vou rever meu  umbigo
em São Paulo é bom, mas como lá eu não digo
vou pegar o ônibus vou rever meu umbigo

Anúncios