Como bom nordestino, como cuscuz praticamente todos os dias, às vezes duas vezes ao dia. Com leite, com manteiga, com carne, com queijo derretido por cima, etc, gosto mesmo de cuscuz e conheço muita gente que também não abre mão desta iguaria.

Imagem

Esta comida deliciosa também é consumida em outras regiões do Brasil, especialmente no sudeste, onde são feitas receitas com o acréscimo de diversos outros ingredientes.

Imagem

Praticamente poderíamos dizer que o cuscuz é um patrimônio imaterial do Brasil, tão atrelado que está a sua cultura. Não obstante, a origem do cuscuz é marroquina. Na verdade, ele é consumido em diversos países do mundo. Inclusive, já comi cuscuz em Paris!!! Isto mesmo: devo dizer, no entanto, que não foi em um restaurante de comida francesa. Foi em um restaurante marroquino, já que há muitos imigrantes deste país norte africano que vivem na França.

Imagem

Aqui em Maceió o prato de tão apreciado levou à criação de um restaurante específico para apreciar este prato em diversas receitas: a Cuscuzeria (Av. Amélia Rosa, Jatiúca). Também gosto de comer o cuscuz da Cafeteria São Braz, em dois endereços na cidade (Maceió Shopping e Ponta Verde).

De toda forma, não sei se posso chamar estes restaurantes de internacionais, já que o cuscuz já se abrasileirou. Sobre a origem do prato e sua chegada ao Brasil:

“Cuscuz é um prato árabe originário do Magrebe (região do norte de África) que consiste num preparado de sêmola de cereais, principalmente o trigo. No Brasil, pode ser feito à base de farinha ou polvilho, de milho, arroz ou mandioca. Salgada e levemente umedecida, a massa é posta a marinar para incorporar o tempero. Daí, tem a sua cocção pela infusão no vapor. Pode ser incrementado com outros ingredientes, como é o costume do sudeste do Brasil, ou apenas ir acompanhado de leite, ovos,manteiga ou carne-de-charque, como é a preferência no nordeste. O cuscuz preparado no cuscuzeiro pode ser de milho, carimãe tapioca, iguaria muito comum no Nordeste do Brasil, encontrado comumente na Feira de São Joaquim em Salvador. Além do Brasil, o cuscuz também é consumido em outros países da América Latina. Em Portugal acredita-se que chegou no reinado de D. Manuel I (1495-1521), sendo mencionado na obra de Gil Vicente. A grafia francesa couscous, é frequentemente usada para todas as variações deste prato em livros de culinária europeus”. (wikipedia)

 

Imagem

 

 

Agora vocês me dêem licença que está quase na hora de tomar meu café com cuscuz.

Anúncios