Em 1839, quando a capital de Alagoas foi transferida de Marechal Deodoro (antiga Alagoas) para Maceió, a principal razão foi a existência de um porto natural, que reunia ótimas condições para atracamento de navios.

Desde então, o porto de Jaraguá (ou de Maceió) vem contribuindo de forma decisiva para a economia alagoana, em especial para a exportação de açúcar e álcool.

Nos últimos anos, o Porto de Maceió passou a fazer parte das rotas dos principais navios de cruzeiros da costa brasileira.

Um dos principais aspectos do porto de Maceió é sua localização central, conforme se vê nas imagens abaixo:

É evidente que a localização pode ser considerada um inconveniente, principalmente devido ao tráfego de caminhões de carga. Por outro lado, para o turismo, os passageiros podem ir andando do porto até a praia de Pajuçara, por exemplo.

O porto de Maceió foi criado em uma área de arrecifes, onde há a formação de piscinas naturais.

Ao fundo, no alto, o bairro do Farol.

Uma enseada (a da Pajuçara) separa o porto da praia de Ponta Verde.

Dois navios de cruzeiros atracados no Porto de Maceió:

Vista aérea do bairro do Jaraguá, que dá nome ao Porto

Navios e pequenos barcos dividem espaço na região portuária de Maceió (detalhe para a cor do mar).

Maior terminal açucareiro do mundo

Veleiro da marinha em dias de visitação no porto:

Alguns navios de cruzeiros que passam pelo Porto de Maceió:

Terminal de passageiros (estrutura temporária)

Anúncios