Em 2008, éramos oito amigos que decidiram fazer uma viagem de carro pela Europa. No roteiro, evidentemente, não poderia deixar de ter constado a Alemanha. Na verdade, o trecho de carro da viagem começou por Berlim e passou por Dresden, antes de chegarmos à República Tcheca (Praga). Na volta, passamos pela Áustria (Viena), e devolvemos o carro em Munique, capital da Baviera.

Foi uma viagem divertida, pois pudemos ver com calma as principais cidades do Leste Europeu. Só não fomos à Bupadeste, que tive a oportunidade de conhecer anos depois.

Recordo que em Berlim, chegamos em um frio de rachar, mas nada que um bom agasalho não resolva. Ficamos hospedado em um hotel no lado oriental, e passeamos bastante por este lado da capital. A Torre de Televisão, a Catedral, a Unter den Linden, a Ilha dos Museus, etc, tudo isto fica do lado oriental.

No lado ocidental, fomos ao Reichtag (Parlamento), com sua bela cúpula de vidro. De lá, há uma vista da cidade que enche os olhos. Além disto, pode-se ver os parlamentares alemãs trabalhando no plenário abaixo. Berlim agrada porque combina como poucas cidades do mundo o histórico como o moderno.

Também fomos ao Potsdamer Platz (Sony Center), um belíssimo complexo de arquitetura futurista com uma cobertura metálica. Neste local, que reúne lojas, bares e restaurantes, durante o jantar, experimentei carne de…canguru, em um restaurante australiano. Uma delícia.

Seguindo viagem, passamos uma tarde na histórica cidade de Dresden, uma das mais belas da Alemanha, com um grande patrimônio arquitetônico, sendo boa parte dele fruto de uma criteriosa restauração, já que a cidade foi destruída por bombardeios durante a II Guerra Mundial.  Situada às margens do Rio Elba, sem exagero, Dresden é uma das cidades mais fotogênicas da Europa. Além disto, quase não se acredita que a cidade foi completamente devastada, já que a restauração é de altíssima qualidade.

Como já explicado, devolvemos o carro em Munique, onde passamos dois dias. A cidade, que já foi objeto do post (Viagens à Alemanha II) é fantástica. Compete com Berlim em pé de igualdade no tocante a atrações turísticas, atividades culturais e, vence com sobra, no quesito beleza.

Em Munique, fomos ao Parque Olímpico, que abrigou as Olimpíadas de 1972.

Também conhecemos in loco o Alianz Arena, estádio mais moderno da Europa.

Na região central da cidade, não faltam atrações, além de um comércio movimentado.

Antes de pegarmos o trem para Amsterdam, fomos beber um pouco (que ninguém é de ferro) na cervejaria Hofbrauhaus, uma atração a parte nesta maravilhosa cidade.

Anúncios