Situada no centro da capital alagoana, esta rua emblemática já foi cantada até por Chico Buarque: “Eu vou me mandar de trenó, pra Rua do Sol, Maceió…”, na música Bye bye, Brasil (embora eu goste mesmo da versão feita por Manezinho Araújo e cantada pelo forrozeiro Zinho, com seus versos “Rua do Sol, Rua do Sol, Rua do Sol, Maceió, ainda ontem eu vim de lá…”)

R. do Sol - Centro, Maceió - AL, 57020-070

Nos tempos em que a vida social de Maceió se concentrava na região central, a Rua do Sol, atual Rua João Pessoa, tinha posição destacada, pois abrigava inúmeras instituições comerciais, culturais e religiosas.

Dando continuidade à Rua do Imperador, a Rua do Sol liga o Oceano Atlântico à Praça dos Martírios, onde se situa o Palácio do Governo (vide foto abaixo).

Por sinal, a Praça dos Martírios, se não vive hoje seus melhores dias, já foi o coração da cidade, onde todos se encontravam (e onde meus pais se conheceram).

Outra praça bonita que se situa na Rua do Sol é a Praça Dom Pedro II, ou praça da Assembléia.

Na Rua do Sol estão situadas três das principais igrejas de Maceió: a Catedral Metropolitana, a Igreja Bom Jesus dos Martírios e a Igreja do Rosário.

Na região onde hoje está a Catedral (que foi inaugurada por D. Pedro II, em 1859), surgiu o povoamento que deu origem à Maceió.

Por falar em catedral, vejam nas próximas duas fotos como Maceió passou de um vasto coqueiral a uma vibrante metrópole.

A Igreja dos Martírios tem grande valor histórico e arquitetônico, sendo um raro exemplo de templo coberto por azulejos portugueses.

Por sua vez, a Igreja do Rosário, com apenas uma torre, foi construída pelos negros.

Na Rua da Sol, também há outros prédios históricos, como os da Escola Técnica do Comércio (de verde) e o do Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas (de rosa).