Em 2011, estava querendo usar milhas e conhecer visitar alguma cidade da América do Sul. Já não queria repetir as viagens que já havia feito, foi quando me dei conta de que podia conhecer Bogotá. Apesar de ser menos badalada como destino turístico que outras capitais sul-americanas (especialmente para os brasileiros, que preferem ir a Buenos Aires e Santiago), a capital colombiana é uma cidade interessante de se visitar. Durante muito tempo, deixou de ser procurada por turistas porque era considerada insegura. Esta situação foi alterada profundamente, para a nossa alegria.

Bogotá é uma cidade grande, muito grande (são quase 7 milhões de habitantes). Como muitas cidades de colonização espanhola, tem belas praças, igrejas, sobrados e palácios coloniais, com destaque para o bairro da Candelária. Também tem um interessante Museu do Ouro, que retrata as riquezas das civilizações pré-colombianas, e o imperdível Museu Botero, com obras do pintor e escultor que adorava as gordinhas. Outra ótima atração da cidade é o Montserrat, que é um morro no qual se sobe de teleférico. Lá em cima, há um importante santuário e se tem lindas vistas da cidade.

Na zona central da cidade, destacaria a bela Plaza Bolívar, onde está localizada a Catedral e diversos prédios públicos importantes.

Estive na cidade em 2011, e a primeira coisa que me chamou a atenção foi a altitude (a cidade está 2640 metros acima do nível do mar). No começo, senti um pouquinho de dor de cabeça, mas esta foi rapidamente superada. Devido à altitude, às vezes pode fazer frio na cidade.

A noite da cidade é agitada, especialmente nos bairros que concentram restaurantes, bares e discotecas. Recomendo o Andres DC, uma casa onde se pode comer e se divertir.

Bogotá é uma cidade bem espalhada. Para não perder tempo com deslocamentos longos, eis abaixo algumas dicas retiradas do site http://www.viajenaviagem.com/2010/04/tres-dias-em-bogota-a-otima-experiencia-do-dionisio/

“1) Bogotá é um excelente destino para quem quer gastar milhas ou vai ao Caribe ou outros destinos colombianos, como Cartagena e San Andrés. A cidade é linda, limpa, arborizada e oferece muitas e ótimas opções culturais, gastronômicas e comerciais. O povo é muito educado e gentil.

2) A cidade transmite sensação de segurança, pois há policiais para onde se olha. Mas é bom não dar bobeira, porque continua sendo uma metrópole sulamericana (isso fala por si só). Mas Bogotá também dá a sensação de ser uma cidade que está melhorando, um lugar em que estão fazendo alguma coisa contra a violência e o tempo perdido. Isso deve ser apreciado (taxistas contam muito bem as trasformações positivas da capital).

3) Hospede-se na Zona Rosa (os Jardins, Leblon ou Moinhos de Vento de lá), não importa quanto tempo ficará em Bogotá. Infraestrutura completa e segurança são pontos altos. Acho que vale mesmo se for para apenas passar a noite e pegar uma conexão no outro dia. O bairro está a cerca de 25 minutos do aeroporto. Ficamos no Hotel GHL Hamilton, tipo business, muito correto, suítes amplas, café da manhã regular, staff atencioso, ideal para quem quer sair a pé, a 205 pesos por dia. Recomendo.

4) Jante e curta a noite na Zona Rosa, mais especificamente na Zona-T. Recomendo o restaurante Via María, de pratos deliciosos e de preço justo. O mojito foi o melhor que já provei. Outro lugar bom para comer – e que está em vários pontos da cidade – é o restaurante El Corral. Há, além disso, os bares e restaurantes do Parque de la 93 e da Zona G (de gourmet), com boa reputação e em bairros próximos à Zona Rosa.

5) Os restaurantezinhos da Candelária oferecem uma experiência mais “roots”, com pratos bem típicos. São bem simples e atraem muitos jovens turistas europeus e americanos. Não arrisquei, pois, confesso, não achei bom o aspecto dos lugares.

6) Use táxi, pois é muuuuuito barato. Pegamos vários táxis diretamente nas ruas e sempre deu tudo certo, com segurança e bons papos com os motoristas.

7) Os preços em geral são bem compatíveis com os brasileiros.  Pacotes de legítimo café colombiano são bons presentinhos de viagem. Os mais vendidos são os da Juan Valdez, uma espécie de MacDonald’s do café. Mas atenção: os preços são bem mais baixos nos supermercados do que nas próprias cafeterias.

9) Reserve hotel com antecedência, pois a cidade é muito grande para sair procurando um lugar para ficar. Valorize seu tempo.

10) Leve um agasalho, pois o clima é sempre fresco devido à altitude. E por falar em altitude, estive ofegante durante todos os três dias em Bogotá (amarrar os sapatos era como fazer ginástica…). Minha esposa nada sentiu.

Opinião final: Bogotá é positivamente surpreendente. O medo inicial de ir a uma cidade tão marcada pela violência e pelo terrorismo se dissipa tão logo se pise na rua e se veja que as pessoas estão ali, normais, vivendo as suas vidas e aproveitando uma cidade que tem muito a oferecer. Acho que vale para Bogotá o exemplo do Rio de Janeiro (já se discutiu no VnV a questão do medo de visitar um lugar com fama de “mau”). E o melhor é que Bogotá fornece, realmente, sensação de segurança, o que é indispensável para se curtir uma viagem”.

Ficheiro:Vista Completa Bogota.jpg

Ficheiro:Bogotá, Cundinamarca, Colombia.jpg

Anúncios