Pensar em Europa é pensar em história, tradição e cultura. Assim, quando lembramos das cidades europeias, associamos a elas prédios antigos, museus, igrejas, pontes, palácios e outras construções de baixa altura.

Todavia, nos últimos anos, o continente europeu está passando a abrigar grandes edifícios, conhecidos como arranha-céus. Em geral, em uma parte de urbanização mais recente dos grandes centros financeiros, estão sendo levantados edifícios que atingem mais de 200 metros de altura. Que cidades são estas?

ALEMANHA: Frankfurt. Por ser o centro financeiro do país e da zona euro (lá está o Banco Central Europeu, a Bolsa de Valores alemã, etc). De tantos prédios na área central, é apelidada de Mainhattan, já que a cidade fica às margens do Rio Main (ou Meno, em português)

ESPANHA: Madri. A capital espanhola começou a construir arranha-céus no final da primeira década do século XXI. Na verdade, são quatro edifícios muito altos e outros nem tanto construídos em uma área financeira da cidade.

 

FRANÇA: Paris. Conhecida por suas construções quem mantém o alinhamento (prédios baixos), a capital francesa também tem prédios mais altos, construídos no bairro La Défense. Lá, você se sente em outra cidade. Destaque para o belo prédio em forma de arco (Grande Arche de la Défense).

INGLATERRA: Londres. A maior parte dos edifícios altos da capital inglesa se localizam na City e Canary Wharf, regiões financeiras da cidade, sede de grandes empresas. Destaque para o belo edifício projetado pelo arquiteto Norman Foster (Gherkin Building), em forma de cilindro.

File:Shard London Bridge May 2012.JPG

The Shard, recentemente inaugurado em Londres, é o prédio mais alto da Europa Ocidental.

RÚSSIA: Moscou. A capital russa tem surpreendido nos últimos anos, construindo altos edifícios, que estão entre os principais arranha-céus da Europa. Vale lembrar que os arranha-céus sempre foram um símbolo de riqueza e poder, tudo o que a Rússia quer mostrar ao mundo.