Nesta temporada de frio, uma das boas pedidas é visitar a Serra Fluminense, no Estado do Rio de Janeiro. Cidades como Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis se recuperaram da tragédia que viveram com a enchente ocorrida em 2011. Apesar das vítimas fatais e prejuízos financeiros, as cidades da região serrana do Rio não perderam seu encanto.

Das mencionadas, tive a oportunidade, aliás duas (1987 e 2007), de visitar Petrópolis, a cidade mais imperial do país, já que era lá que a família real brasileira se transferia nos verões, ficando hospedada no que é hoje o Museu Imperial, um dos melhores do país (o nome da cidade é uma homenagem a Dom Pedro II, responsável maior pela fama de Petrópolis). Vale lembrar que os descendentes da família real brasileira ainda residem na cidade.

Além da família real, Petrópolis abrigou 16 presidentes da República que lá passavam o verão (no Palácio Rio Negro). Por falar em palácio, há vários na cidade, que também abriga a Casa de Santos Dumont, construída pelo pai da aviação.

Mas não só de história vive Petrópolis: a cidade tem muitos restaurantes estrelados, pousadas de charme, temperatura amena no inverno, fábricas de cerveja, turismo ecológico e de aventura, muitas lojas de malhas, dentre outras atrações.

Petrópolis tem cerca de 295 mil habitantes e está a apenas 72 km do Rio de Janeiro, tendo uma altitude de 809 metros acima do nível do mar.

Museu Imperial

Palácio Quintandinha, que já foi o maior hotel cassino da América Latina.

Palácio Amarelo

Palácio Rio Negro

Palácio de Cristal, presente do Conde d´Eu para a Princesa Isabel

Catedral de São Pedro de Alcântara

Casa de Santos Dumont

Panorama da cidade