Praça Sinimbú de outrora

Localizada no centro de Maceió, na Rua do Imperador, a Praça Sinimbú, atualmente bem degradada, já teve seus dias de glória.  Na foto, a estátua do Visconde de Sinimbú e um prédio lindo, hoje substituído pela Antiga Reitoria da UFAL.

Sobre o Visconde de Sinimbú, muita gente não sabe (inclusive eu, até hoje), mas este alagoano foi Governador de 4 diferentes Estados brasileiros e chegou até  a ser Primeiro-ministro do país.

Ficheiro:Joao lins vieira cansansao de sinimbu.jpg

Segundo o wikipedia: “João Lins Vieira Cansanção de Sinimbu, primeiro e único barão e visconde com grandeza de Sinimbu, (São Miguel dos Campos, 20 de novembro de 1810 – Rio de Janeiro, 27 de dezembro de 1906),  foi um político brasileiro. Foi presidente das províncias de Alagoas, de 30 de outubro a 3 de novembro de 1838 e de 10 de janeiro a 18 de julho de 1840, Sergipe, de 16 de junho a 1 de julho de 1841, Rio Grande do Sul, de 2 de dezembro de 1852 a 1 de julho de 1855 e Bahia, de 1856 a 1858 – e primeiro-ministro do Brasil (27º Gabinete)”.

Saiba mais:

Era filho do capitão de ordenanças Manuel Vieira Dantas e Ana Maria José Lins , e nasceu no engenho Sinimbu, em São Miguel dos Campos – Alagoas. Bacharel em Direito pela Academia Jurídica de Olinda , seguiu logo para a Europa, a fim de aperfeiçoar seus estudos. Em Paris cursou aulas de Baruel e Orfila, durante um ano estudou medicina legal e química. Depois seguiu para a Alemanha, em 1835 e fez doutorado na Universidade de Jena. Aos trinta anos foi nomeado presidente da sua província natal de 19 de janeiro de 1840 até julho deste mesmo ano.Ocupou diversos cargos públicos e intensa vida política, iniciando pela magistratura e atingindo a diplomacia (Juiz de Direito em Cantagalo; Chefe de Polícia; Chefe de Polícia da Corte; Presidente do Conselho de Mineração).Presidiu a Província de Alagoas, de janeiro a julho de 1840, e depois a de Sergipe, de junho a dezembro de 1841. Foi, depois, Ministro-residente do Brasil em Montevidéu, em 1843. Ministro dos Estrangeiros do 15º Gabinete, presidido pelo Barão de Uruguaiana, em 1859.Ocupou ainda o Ministério da Agricultura, Comércio, e Obras Públicas (18º Gabinete, presidido pelo Marquês de Olinda, em 1862 – ocasião em que fez substituir o confuso e antigo sistema de pesos e medidas pelo sistema decimal).Sinimbu presidiu o 27º Conselho de Estado, ocasião em que ocupou interinamente alguns ministérios, de 1878 a 1880.Nesta época em sua homenagem, foi dado o nome de Sinimbu a uma colônia de alemães do Volga, em Palmeira e a outra no Rio Grande do Sul no hoje município de Sinimbu. Também enfrentou a Revolta do Vintém, causada pela insatisfação popular com aumento de impostos e criação de alguns novos, entre eles a taxa de vinte réis (ou um vintém) sobre o valor das passagens no transporte urbano.Foi nomeado senador , em dezembro de 1856, por Alagoas, cargo em que ficou continuamente até a Proclamação da República. Anteriormente havia sido deputado geral e deputado provincial no seu estado natal“.

Fantásticos feitos, pouco divulgados no Estado de Alagoas.

Voltando à foto da Praça Sinimbú,  na verdade, as praças de Maceió eram tão bem cuidadas que dava gosto (pelo menos, é isto que ouço e vejo em fotos antigas). Espero que a Prefeitura resolva recuperar as praças, seja através de investimentos públicos ou com parcerias com a iniciativa privada. Mais que obras físicas, as praças de Maceió precisam voltar a ser um espaço efetivamente público, exercendo seu verdadeiro papel de ambiente de lazer, de relaxamento e de encontro das pessoas.