No início, era a capela do engenho, dedicada à Nossa Senhora dos Prazeres. Ao seu redor, surgiu a cidade de Maceió (foto abaixo).

Muitos anos depois, a capelinha dá lugar a uma imponente igreja, a Catedral. Sobre a história da Catedral de Maceió, dedicada, com muita propriedade, à Nossa Senhora dos Prazeres:

“Governava a Província Cansanção do Sinimbú.   O lançamento da primeira pedra processou-se na tarde do dia 22 de julho de 1840.   Em 20 de dezembro de 1859, o Visitador Diocesano Côn. Afonso de Albuquerque procede à bênção do majestoso templo. No dia 31, após Missa solene, o Visitador Diocesano benze a nova imagem da Padroeira, imponente escultura, ofertada pelo Barão de Atalaia. À tarde, sua majestade D. Pedro II transpõe os umbrais do templo. Com notas vibrantes é entoado o hino de ação de graças. O Pároco de Maceió, quando da inauguração da nova Matriz, era o Côn. João Barbosa Cordeiro, cujo nome está ligado à principal obra de assistência hospitalar de nossa capital, o Hospital de Caridade, depois Santa Casa de Misericórdia, que ele idealizou e fundou em 1851. O Decreto de 02/07/1900, do Papa Leão XIII, criava a Diocese de Alagoas e, conjuntamente, elevava à dignidade de igreja episcopal e Catedral, a Matriz de Maceió, nela instituindo a sede episcopal para aquele que deveria ser chamado bispo de Alagoas“. (fonte: http://www.catedraldemaceio.org.br/nossahistoria.htm)

Abaixo, podemos acompanhar a evolução de Maceió ao longo dos últimos 160 anos através de fotos tiradas da Catedral.