A cidade de Piranhas (Alagoas) surpreende aos que decidem conhecê-la: antes de tudo, porque não se trata de um destino turístico bem divulgado (embora merecesse). Outro aspecto que chama a atenção dos visitantes é a conservação de seu patrimônio histórico, arquitetônico e natural.

Rica em acontecimentos históricos, Piranhas foi, para citar um exemplo, a cidade onde as cabeças dos que faziam parte do bando de Lampião (inclusive dele próprio) foram expostas em praça pública (na verdade, nas escadaria da igreja), em 1938.

Em relação ao patrimônio arquitetônico, Piranhas se destaca pela quantidade e qualidade de suas edificações, além do bom estado de conservação. A cidade, que foi tombada no âmbito estadual (é a única cidade tombada no semiárido nordestino), tem um rico casario colonial, que segue a geografia pouco plana da cidade.

Quanto aos aspectos naturais, não faltam atrações em Piranhas: começando pelo Rio São Francisco, que banha a cidade, passando pelos mirantes dos quais se tem ótimas vistas da região.

Situada a 280 km de Maceió, Piranhas está a cada dia se preparando melhor para o turismo: já conta com bons hotéis e restaurantes.

Sobre a cidade:

No sertão de Alagoas, a 280km da capital, Maceió, Piranhas, que se divide em “de Baixo e de Cima”, vem há algum tempo chamando a atenção, especialmente para a própria geografia, cuidadosamente moldada entre a caatinga e os rios São Francisco, Boa Vista (ou Piranhas), Urucu e Capiá.Mas também seu casario colonial, disposto irregularmente em morros e baixadas, o artesanato singelo, a gastronomia, que inclui o saborosíssimo pitu, e a gente simples e cativante fazem da cidade a quarta mais visitada do estado. A sensação que se tem ao chegar ao lugarejo é inexplicável, tamanha a energia que envolve o conjunto arquitetônico. Para começar, a orquestra filarmônica saúda os visitantes com músicas variadas no Centro Cultural Miguel Arcanjo de Medeiros. O conservatório, o único de Alagoas, está instalado na casa onde dom Pedro II pernoitou em sua passagem pela cidade, em 1859, na parte alta. De lá, parte-se para o percurso turístico, que passa pelo Museu do Sertão, pela Igrejinha de São Francisco e pelo Café da Torre, na parte baixa, até os mirantes, de onde se avistam os limites da cidade, emoldurados pelo Velho Chico. À noite, a Banda de Pífaros, comandada pelo músico e instrumentista Egildo Vieira, se apresenta na praça. São 25 mil habitantes em um município de ruas limpas e fachadas cuidadosamente pintadas em várias cores. Em um sistema adotado pela prefeitura, os moradores escolhem a cor e a administração pública providencia a pintura. Assim, não há uma só casa com aparência de descuido, nem as pontes e os meios-fios. O zelo é tanto que a cidade mais parece um cenário de cinema. Prova disso são os filmes que foram rodados lá (Lampião e Baile perfumado), sem falar na novela da TV Globo Cordel encantado, também ambientada em Canindé do São Francisco. Piranhas é a única cidade do semiárido nordestino tombada como patrimônio histórico nacional. Foi fundada no século 18, quando o local era conhecido por Tapera. Conta-se que, em um riacho, hoje chamado das Piranhas, um caboclo pescou uma grande piranha, levando-a para casa depois de parti-la e salgá-la. A história foi transmitida de geração a geração e, segundo consta, denominou o lugar, que cresceu próximo ao riacho. A centenária Piranhas, às margens do Rio São Francisco, faz limites com Olho d’Água do Casado, Pão de Açúcar, São José da Tapera, Inhapi e Rio São Francisco. Está 47m acima do nível do mar e tem uma área de cerca de 410km². Sua temperatura máxima chega aos 40 graus, com sensação de bem mais. As principais atividades econômicas são a pesca e a agricultura de subsistência. (EC) Antiga ferroviária. O Museu do Sertão fica no bem conservado prédio pertencente à antiga Rede Ferroviária, onde também estão o Centro de Exposição e Cultural de Artesanato, a Casa do Patrimônio, a Torre e o Centro Cultural Miguel Arcanjo de Medeiros. ” (texto de  Elizabeth Colares – Correio Braziliense, fonte: (http://cadaminuto.com.br/noticia/2011/06/08/piranhas-e-a-unica-cidade-do-nordeste-tombada-como-patrimonio-historico)

Abaixo, fotos de Piranhas:

Os mirantes da cidade:

O incomparável Rio São Francisco

Atracadouro

Lindo casario da cidade, que faz com que Piranhas seja conhecida como “cidade presépio”

Foto de TIto Garcez

Igreja Matriz

Torre do Relógio

belo casario

Estação Ferroviária:

Capricho até mesmo na entrada da cidade:

Festividades:

Muita história para contar:

Grota de Angico, onde Lampião e seu bando foram mortos.

Grota de Angico

Opções de hospedagem:

Xingó Parque Hotel (Canindé do São Francisco-SE)

Pedra do Sino, o mais novo hotel da região

Anúncios