Regra geral, um país tem um nome só em todo mundo, com pequenas variações linguísticas. Assim, o Brasil é Brazil em inglês, Brasilien em alemão e Brésil em francês. O mesmo ocorre com países como o México, a Argentina, a Espanha, Portugal, China, dentre tantos outros.

Todavia, sempre me chamou a atenção o fato da Alemanha ser chamada de Germany em inglês e Deutschland em alemão. Vejam que são três palavras aparentemente bem diferentes entre si. Qual a razão então para estas variações que designam o mesmo país?

Pesquisando na internet, vejam o que encontrei:

Alemanha, Deutschland, Germany: um país, muitos nomes

“Prezado Sérgio, tenho uma dúvida sobre a origem da palavra Alemanha. Em alemão, eles chamam o país de ‘Deutschland’, e em inglês, de ‘Germany’. Qual a história da formação dessa palavra e por que não existe uma palavra parecida com ‘Deutschland’ em português? Aproveitando isso, eu gostaria de saber se existe alguma relação entre esse ‘Deutsch’ e o adjetivo ‘holandês’, que em inglês é ‘Dutch’. Obrigado.” (Paulo Hora)

A consulta de Paulo, que na verdade é um feixe de consultas, nos lança nas águas turbulentas de um Velho Mundo às voltas com guerras e alianças tribais, muitos séculos antes das divisões nacionais modernas. Foi um processo lento e confuso, que deixou suas marcas nas palavras.

O termo Alemanha nos chegou diretamente do latim Alamannia, “terra dos alemães”, a mesma matriz do espanhol Alemania e do francês Allemagne – e também do inglês Almaine, que caiu em desuso perto do fim da Idade Média.

A origem da palavra latina é Alamanniz, termo do germânico antigo, ramo linguístico que veio a dar em inúmeros galhos, entre eles o alemão, o holandês, o inglês e as línguas escandinavas.Alamanniz é semanticamente controverso: há estudiosos que vêm na palavra o sentido de “todos os homens” (all men, em inglês moderno), o que sugere uma congregação de diversas tribos, enquanto outros apostam no significado de “estrangeiros” – o que de alguma forma a ligaria ao elemento de composição latino alien.

O latim tinha outra palavra para designar a terra daqueles povos do norte: Germania. Consta que Júlio César foi o primeiro a empregar o termo germanus em referência a um grupo de tribos do nordeste da Gália (aproximadamente na fronteira atual entre França e Alemanha). Mais tardeGermania passou a designar um vastíssimo território, inclusive aquele ao leste do rio Reno e ao norte do Danúbio, de bordas orientais meio difusas, que não estava sob o controle do Império Romano.

Naquela Germânia caberia no futuro, além de Alemanha, Holanda e partes da Bélgica e da França, até a Polônia. No entanto, foi ao povo alemão que o sentido moderno da palavra germânico se restringiu. Sua origem é incerta, provavelmente gaulesa, mas não tem relação alguma com o latim germanus, “irmão”, de idêntica grafia. German vingou em inglês a partir do século 15, vindo a substituir por completo Almain e Dutch (na acepção de alemão).

A esta altura acredito que a última pergunta de Paulo já esteja respondida nas entrelinhas, mas vamos lá. Sim, o alemão Deutsch e o inglês Dutch são aparentados, ambos descendentes de um termo germânico arcaico, theudo, que significava “popular, nacional” – o mesmo em que o latim foi buscar a palavra teutonicus, que também frutificou entre nós para acrescentar mais um vocábulo a essa salada.

No início do século 17, o inglês encontrou para Dutch, vocábulo que a adoção de German tinha tornado meio ocioso, um novo uso com o sentido de holandês. Antes disso, no século 16, o adjetivo passara a ser aplicado com conotação pejorativa a qualquer coisa que se julgasse de qualidade inferior“. (http://veja.abril.com.br/blog/sobre-palavras/consultorio/alemanha-deutschland-germany-um-pais-muitos-nomes/)