Houve um tempo em que Maceió era conhecida como Cidade Sorriso, o que justificativa pela beleza de seus logradouros públicos, especialmente de suas praças. Se hoje a imponência do passado vem cedendo espaço ao descaso, ainda se tem o exemplo de um lugar em Maceió em que predomina um belo paisagismo com muito verde. É a praça do Centenário:

A Praça do Centenário, no bairro do Farol, somente teve esta denominação na década de 60, na administração do então prefeito Sandoval Cajú, quando recebeu reformas importantes, ganhou o mapa de Alagoas, construído em cimento, luz e gás sobre uma piscina (fonte luminosa) com a legenda de boas vindas para os nossos visitantes. Antes de receber o nome de praça do Centenário, foi conhecida por praça Jonas Montenegro, praça Peripedra ou Periperipau, praça Januário Bezerra, praça do campo de futebol e praça Nilo Malta. Teve sua origem como parque do Centenário que depois passou a chamar-se Getúlio Vargas e por fim, General de Góis Monteiro, isso em 1939 quando Maceió completou seus 100 anos de Capital de Alagoas.” (fonte: http://www.wikialagoas.al.org.br/index.php/Pra%C3%A7a_do_Centen%C3%A1rio)

Além de sua beleza, a Praça do Centenário é um dos espaços mais bem cuidados da capital alagoana. Com uma localização bem central,  poderia-se tomar o mapa situado na mesma como ponto a partir do qual deveriam ser medidas todas as distâncias no Estado de Alagoas.

Acrescente-se que a partir desta praça, inicia-se a principal avenida de Maceió, a Fernandes Lima, como se vê abaixo:

Abaixo, algumas fotos da Praça do Centenário:

Vista do alto:

Foto antiga:

A praça é do povo: o fato de ser aqui em que as pessoas se reúnem para protestar e se manifestar politicamente é uma prova inequívoca do papel central desempenhado pela Praça do Centenário na vida da cidade.

Perceptivas para a praça:

Empresariais:

VLT: