Após quatro anos fechada para reforma, a Bibilioteca Pública Estadual Graciliano Ramos foi reaberta ao público no fim do mês de novembro. Apressado que sou, hoje já tive a oportunidade de visitar este local de tanto significado cultural para o Estado de Alagoas.

Situada no Palacete Barão de Jaraguá, prédio construído na metade do século XIX para receber a Família Real, quando de visita de Dom Pedro II a Alagoas, a Biblioteca Estadual hoje faz homenagem em seu nome àquele que foi eleito o maior “Alagoano do Século XX” (Graciliano Ramos).

Sobre a biblioteca situada na Praça Dom Pedro II (ou da Assembléia Legislativa, ou da Catedral), ela foi “criada em 26 de junho de 1865, inicialmente apenas como Gabinete de Leitura,  a Biblioteca Pública Estadual é um local de construção do conhecimento, disponibilizando para os usuários todo tipo de informação. Os serviços fornecidos pela Biblioteca Pública baseiam-se na igualdade de acesso para todos. Em 18 de novembro de 2013, através do Decreto nº 29.175 de 15 de novembro de 2013, foi publicado no Diário Oficial do Estado de Alagoas nova denominação para a biblioteca, passando a ser  “Biblioteca Pública Estadual Graciliano Ramos”. Seu acervo é composto de livros, folhetos, periódicos, manuscritos, CD’s, CD-ROM, vídeos, fitas cassetes e livros em Braille“. (fonte: http://www.cultura.al.gov.br/institucional/espaco-da-secult/biblioteca-publica)

Sobre a reforma e reinauguração do prédio, que deve ser frequentado pelos alagoanos:

Após quatro anos de obras no prédio Palacete Barão de Jaraguá e trazendo um acervo de aproximadamente 70 mil volumes, a Biblioteca Pública Estadual Graciliano Ramos foi reinaugurada, na noite desta terça-feira (25), no centro de Maceió. A restauração foi realizada em uma parceria da Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (Secult), Fundação Biblioteca Nacional (FBN) e Ministério da Cultura.

Além da consulta ao acervo bibliografico, agora o público pode encontrar espaços multimídias com serviços como telecentro, espaço de leitura para crianças e jovens, acervo em braile, coleção de títulos alagoanos e literatura brasileira. A biblioteca conta também com acessibilidade com rampas nos elevadores e nos banheiros, e sistema de segurança.

Na solenidade de reinauguração, o governador do Estado, Teotonio Vilela Filho, destacou a importância da nova biblioteca para a sociedade. “Estou muito alegre com esse trabalho. Pois sei que estamos aqui cuidando das gerações futuras”. O evento contou ainda com apresentação dos artistas Chico de Assis e Paulo Poeta recitando e interpretando trechos de obras do autor homenageado, Graciliano Ramos.

Novos espaços
De acordo com a diretora da Biblioteca, Maria Luiza Russo, o novo espaço é dinâmico e acessível para a sociedade. “Foram quatro anos, mas não foi só arrumação de parede e janela. A Biblioteca Pública oferece novos espaços e serviços para a sociedade. Temos espaços Multimídia onde estão disponíveis a consulta online do acervo e pesquisa em geral, e contamos com um laboratório de conservação e preservação do acervo documental”, destacou.

O telecentro, que conta com 21 computadores é um dos destaques da nova biblioteca. “O telecentro faz parte do Digitalagoas, um programa que busca a inclusão social através da tecnologia. Nossa pretensão é, além de trazer o acesso à internet e à informática básica a indivíduos que não têm essa possibilidade, oferecer cursos à distância”, explica a diretora.

Homenageando o grande autor alagoano, o Memorial Graciliano Ramos ocupa um dos 54 ambientes do palacete em um espaço com recursos multimídias que será abrigo de exposições artísticas que passem pelo local. 

Para o professor de Língua Portuguesa, Ari Denisson, a reinauguração é uma oportunidade para que o espaço se torne referência como atrativo cultural. “A primeira coisa que notei foi que agora, de fato, existe uma placa assinalando que é a Biblioteca Pública, porque é importante que as pessoas saibam de sua existência e localização. Os alagoanos precisam se reconhecer como possuidores de um legado cultural e isso deve ser preservado. Para que ela funcione efetivamente, é necessário que haja uma atenção para todos os tipos de público”, disse. (fonte: http://g1.globo.com/al/alagoas/noticia/2014/11/biblioteca-publica-e-reinaugurada-com-espacos-multimidia-em-maceio.html)

Abaixo, fotos que tirei hoje (02.12.14) do local, que me chamou a atenção pela qualidade e beleza deste importante equipamento cultural e turístico do Estado de Alagoas:

Fachada histórica do Palacete Barão de Jaraguá:

Este blogueiro empolgado em sua visita à Biblioteca Estadual:

Bela vista da sacada do prédio:

Vista para a Praça Dom Pedro II, de onde se vê a Catedral:

Mini-auditório, espaço que pode ser utilizado para eventos culturais:

Computadores à disposição dos usuários da biblioteca:

Tem espaços até para pensar sobre a vida:

Setor de obras raras para os pesquisadores de e sobre Alagoas:

Jornais antigos podem ser pesquisados aqui:

Equipamento oferece conforto aos seus usuários:

Livros técnicos também podem ser encontrados por aqui:

O público já descobriu que a biblioteca foi reaberta:

A bandeira do Estado de Alagoas pendurada na fachada:

Para os usuários se orientarem (homenagem a Jorge de Lima):

Um memorial a Graciliano Ramos:

Espaço para crianças:

Peças de arte espalhadas pelo prédio:

Vá e leve seus filhos também:

 

Anúncios