Leipzig completou 1.000 anos em 2015. Não só por isto esta cidade da Saxônia está de parabéns. Anote aí: esta cidade da Alemanha ainda vai entrar em muitos roteiros turísticos. Leipzig tem motivos de sobra para ser visitada. Talvez a proximidade com Dresden tenha ofuscado esta cidade, que, além de ser a terra de Bach e Wagner:

“”… é uma pequena Paris e instrui sua gente”, dizia Goethe a respeito da cidade onde estudou. Leipzig continua mantendo sua fama e atraindo visitantes de todos os cantos do mundo. “Leipzig vem aí!” É esse o lema que sublinha, desde meados da década de 90, o pulo dado pela mais tradicional cidade da Saxônia em direção ao futuro. O propósito é fazer com que Leipzig retome a importância que teve no passado. Para isso, autoridades e população arregaçam as mangas, depositando grandes esperanças na mistura entre história e modernidade que a cidade representa.

Tudo pode ser visto a pé

As estratégias são visíveis a olho nu: quem chega de trem a Leipzig tem a impressão de estar em uma das estações ferroviárias mais belas e modernas da Europa. Dali, são apenas alguns passos rumo ao centro histórico, quase todo restaurado, com suas duas prefeituras. A antiga e a “nova”, que mesmo assim já contabiliza cem anos.

Na avenida que circunda a cidade, há lojas e departamentos públicos, universidade e instituições culturais. Tudo com fácil acesso a pé. Leipzig, com meio milhão de habitantes, proporciona dessa forma as vantagens de uma grande cidade, sem no entanto trazer os incômodos que essas geralmente causam.” (fonte: http://www.dw.com/pt/leipzig-a-pequena-paris-de-goethe/a-1297513)

O magnífico prédio da Nova Prefeitura:

Suprema Corte Administrativa Federal da Alemanha:

Museu der bildenden Kunst:

A arquitetura “jugendstil”:

Arquitetura comunista da Alemanha Oriental:

Belo panorama noturno de Leipzig:

A Igreja de São Nicolau, “que começou a ser erguida em 1165, em homenagem ao padroeiro dos mercadores. A igreja foi palco de pregações do reformista Martinho Lutero e também de estreia da obra “Paixão segundo São João”, do compositor Johann Sebastian Bach. O local ainda ganhou fama por ter sediado protestos pacíficos contra o comunismo, em 1989” (fonte: http://www.dw.com/pt/os-mil-anos-de-leipzig/g-18481701):

Leipzig St. Nikolai Kirche, dpa

O maior monumento da Europa fica em Leipzig. Chama-se Monumento da Batalha das Nações: “Com 91 metros de altura, o monumento lembra a sangrenta batalha de 1813, quando as forças da Rússia, Áustria, Prússia e Suécia derrotaram o exército de Napoleão e tropas aliadas. Os confrontos deixaram milhares de mortos e feridos. Hoje, o memorial é aberto a visitantes que têm acesso a uma espetacular vista panorâmica da cidade e arredores a partir de uma plataforma de observação” (fonte: http://www.dw.com/pt/os-mil-anos-de-leipzig/g-18481701):

Igreja de São Pedro:

Uma curiosa ponte do aeroporto que cruza uma rodovia:

O centro histórico:

Mais uma cidade verde da Alemanha: