Resultado de imagem para viagens culturais transamerica turismo

A Revista Turismo e Negócios acaba de publicar em sua última edição (junho/2017) uma matéria sobre a Viagem Cultural Europa 2017. Esta não é a primeira vez que a prestigiada revista de turismo divulga as viagens culturais que organizamos desde 2012 em parceria com a Transamérica Turismo. Neste contexto, eis algumas matérias que você pode conferir:

http://www.revistaturismoenegocios.com/materia.php?c=993

http://www.revistaturismoenegocios.com/materia.php?c=762

Segue abaixo o texto na íntegra da matéria que acaba de sair do forno:

UM BELO RELATO DA VIAGEM CULTURAL EUROPA 2017″

Com esta edição, o alagoaníssimo projeto “Viagem Cultural” atinge a incrível marca de 25 países visitados na Europa

(grupo de alagoanos em excursão da Transamérica Turismo na cidade de Copenhague)

No último mês de abril, ocorreu mais uma parceria de sucesso entre a Transamérica Turismo e o professor universitário Fábio Lins, idealizador do projeto “Viagem Cultural” (e autor do blog culturaeviagem, onde as viagens estão relatadas).

(José e Ana Carla Brandão)

Com esta edição, o alagoaníssimo projeto “Viagem Cultural” atinge a incrível marca de vinte e cinco países visitados no continente europeu (também foram realizadas viagens para México e Peru), tendo dele participado mais de quatrocentas pessoas. Cada edição do projeto tem uma proposta específica. Assim, as primeiras duas edições do projeto (em 2012 e 2013) tiveram como foco as mais tradicionais universidades europeias (Coimbra, Salamanca, Sorbonne, Oxford, Bolonha, Montpellier e Heildelberg); em 2014, foi a vez do leste europeu e de tours temáticos especiais, como os realizados sobre o julgamento dos nazistas em Nuremberg (Alemanha) e sobre a Corte Internacional de Justiça em Haia. Na edição de 2015, o objetivo foi visitar algumas das principais regiões históricas da Europa (como a Baviera na Alemanha, o Tirol na Áustria e a Toscana na Itália). No ano seguinte, a Viagem Cultural visitou a surpreendente região dos Balcãs (Croácia, Montenegro, Bósnia, Eslovênia e Eslováquia), além de Berlim e Viena. Assim, faltava um roteiro personalizado que contemplasse o norte do Velho Mundo, incluindo os países de melhor qualidade de vida do planeta e que dão aulas diárias ao mundo de democracia, desenvolvimento sustentável e civilidade. Por esta razão, a edição 2017 do projeto levou um grupo de oitenta e cinco pessoas aos países da Escandinávia (Noruega, Dinamarca, Suécia e Finlândia), à Rússia e à França.

(Marcelo e Margarete Neves, Rogério e Maria Nonô)

Ressalte-se que a Escandinávia é uma das regiões mais encantadoras da Europa, com cidades de beleza ímpar e paisagens naturais deslumbrantes. Ademais, o grupo também visitou aquela que é conhecida como a cidade mais linda e capital cultural da Rússia, São Petersburgo, sem falar de Paris, a Cidade-Luz.

A viagem cultural começou pela Noruega, país de mais alto IDH (índice de Desenvolvimento Humano) do planeta. Com acomodação no centro de Oslo, cidade de arquitetura arrojada e que tem uma das rendas per capta mais altas do mundo, o grupo ficou em um hotel ao lado da Ópera, um dos símbolos da capital norueguesa. Já nos primeiros momentos, foram feitas agradáveis caminhadas pela zona renovada do porto turístico, uma das áreas mais exclusivas da Europa, com suas belas vistas do Fiorde de Oslo.

(Eugênia Penedo, Sônia Correa, Divanise Suruagy, Fátima Pinto, Tânia Mota e Eliane Costa)

No dia seguinte, foi realizado um tour da cidade, sempre conduzido por guias locais que são orientados para abordar as questões históricas, cotidiano, curiosidade, economia, política, dentre outros aspectos culturais. No tour, o grupo conheceu o interessantíssimo Parque Vigeland, que reúne centenas de esculturas, assim como uma das maiores pistas de salto em esqui do mundo. Outra parada que agradou a todos foi na Prefeitura de Oslo, onde há, anualmente, a entrega do prêmio Nobel da Paz. À tarde, os alagoanos fizeram passeios ao ar livre pelo calçadão da Karl Johans Gate, via principal da cidade, que liga a estação de trem (onde estava o hotel) ao Palácio Real ou mesmo uma visita a prédios interessantes, como o Museu do Barco Viking, a estonteante Ópera House, o Nobel Peace Center, à National Gallery (onde está o quadro “O grito”, de Edward Munch) e a Fortaleza de Akerhus.

(Antônio e Ana Cristina dos Anjos, Josileide Silva, Robério Melo, Cláudia Falcão, Artur Gomes Neto, Kátia Betina e Antonio Noya)

No dia seguinte, o grupo se dirigiu ao porto de Oslo, onde, em um moderno ferry, com direito a jantar e cabine para pernoitar, fez a travessia do Mar do Norte com destino à Dinamarca, país considerado o mais honesto e o mais feliz do planeta. Pela manhã, já em Copenhague, o grupo fez um tour cultural na cidade, considerada uma das de melhor qualidade de vida no mundo. O tour incluiu visita panorâmica, passando pelos Palácios Christianborg (único prédio no planeta que sedia três Poderes), Amalienborg (residência da família real), Rosenborg (em um belo parque), pela estátua da Pequena Sereia (personagem criada pelo dinamarquês Hans Christian Andersen), símbolo maior da cidade e pelo Parlamento. Na tarde livre, alguns preferiram fazer compras no shopping localizado ao lado do hotel, enquanto outros resolveram caminhar pelo calçadão central (considerado o maior da Europa), desde a prefeitura até ao porto turístico (bairro boêmio de Nyhavn), onde ficaram para jantar.

No dia seguinte, a maioria optou por uma excursão ao Castelo de Kronborg, situado nos arredores da cidade, onde William Shakespeare ambientou sua peça teatral “Hamlet.” Neste tour, conheceu-se a chamada Riviera Dinamarquesa. Ao retornar à cidade, muitos foram conhecer o famoso “Tivoli Park”, o segundo parque de diversões mais antigo do mundo, mais que ainda encanta todas as gerações com belos jardins e atrações para todos os gostos.

(Carlos, Carla e Maria Helena Simões)

No dia seguinte, momento de emoção: no ônibus com destino a Estocolmo, o grupo conheceu um dos maiores prodígios da engenharia mundial, a Ponte de Oresund, que entra literalmente no mar. Foi o primeiro contato com a Suécia, país de alta qualidade de vida e que tem a democracia mais avançada do mundo. Outro momento emocionante foi o contato do grupo com a neve, que deixava a paisagem toda branca, o que foi visto com deslumbre a partir das janelas do ônibus.

(Valter e Ana Silva)

Em Estocolmo, foi realizado um tour cultural naquela que é considerada a mais bela e elegante cidade da Escandinávia, com suas inúmeras ilhas, e que reúne a maior concentração de museus por habitante do planeta. No tour foi feita visita a pé ao bairro antigo de Gamla Stan. Também fizeram parte do tour o Palácio Real e a Prefeitura. Naquela tarde, muitos foram conhecer o Museu Vasa, cuja principal atração é um galeão do século XVII afundado nas águas do Báltico e que foi retirado no século XX praticamente intacto, enquanto outros foram ao museu dedicado à banda de música sueca ABBA. A maior parte foi aos dois museus.

(Maria Aparecida e José Cláudio Lemos)

Como a manhã e parte da tarde livres eram livres, muitos aproveitaram para fazer outros passeios pelo agradável centro de Estocolmo, a grande metrópole escandinava. Apesar do frio, que estava maior que o esperado (variando de 0 a 5 graus, chegando até a nevar. À tarde, o grupo embarcou em um luxuoso ferry com diversos atrativos como cassino, free-shop, bares e restaurantes com destino a Helsinki, capital da Finlândia. Nesta noite, além de um belo jantar, o grupo pode se descontrair na discoteca do navio, com direito a muita dança.

(Isaac, Márcia, Filipe e Roberta Lima)

Após o café da manhã no navio, desembarque e início de um tour cultural pela bela cidade de Helsinki, Filândia, considerado o país com o melhor sistema educacional do mundo. A cidade fica em um arquipélago com 350 ilhas, onde se destaca a imponente e branca Catedral Uspenski com treze cúpulas douradas e arquitetura que mescla diversos estilos e construções antigas e modernas. Também foi visitada a Catedral ortodoxa, o centro e os principais momumentos desta agradável cidade. À tarde, foi feito um passeio à Ilha Suomenlinna, onde se encontra uma magnífica fortaleza considerada Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Ainda em Helsinki, o grupo teve a oportunidade de conhecer a gastronomia local, onde se destacam a carne de rena, de urso e o filé de cervo.

(Sílvio e Lúcia Duarte)

O próximo destino foi a Rússia, país de grande tradição e beleza. A cidade de São Petersburgo, que foi durante quase dois séculos capital da Rússia Imperial e que, durante o comunismo, era chamada de Lenigrado, pode estar facilmente incluída entre as cidades mais belas da Europa e do mundo. Às margens do Rio Neva, o hotel permitiu que o grupo fizesse as primeiras caminhadas pela região da Nevsky Prospect, principal rua da cidade.

(Wânia e Rui Almeida, Eliane e Petrônio Ramos)

No dia seguinte, o tour cultural percorreu os principais pontos turísticos desta cidade, apontada como a mais bela de toda a Rússia. Construída por Pedro “O Grande”, foi planejada aos mínimos detalhes pelos melhores urbanistas da época para ser a capital do Império Russo (o que ocorreu entre 1713-1728 e 1732-1918) e para ser a ponte entre a Rússia e o Ocidente. No tour, o grupo contemplou a Igreja do Sangue Derramado, a Catedral de Karzan, a Igreja Ortodoxa de São Nicolau, dentre outras atrações. A propósito, estava incluída na excursão uma visita ao fantástico Hermitage, considerado, com o Louvre, um dos melhores museus do mundo. O grupo passou uma excelente tarde neste museu, com explicações dos guias locais (em português, é claro). À noite, muitos foram ao Ballet Kirov (hoje chamado de Mariinsky), um dos melhores do mundo!

No dia seguinte, houve a visita ao incomparável Palácio de Catarina, uma verdadeira obra prima do barroco. Na escadaria do palácio, o grupo pode tirar mais uma foto com a bandeira de Alagoas, marca registrada da Viagem Cultural.

Os dois últimos dias da viagem foram em Paris, a cidade mais encantadora do mundo. Além do tour, todos puderam realizar atividades pessoais e visitar suas atrações favoritas. Alguns ainda foram ao Moulin Rouge e ao Palácio de Versailles.

Após duas semanas intensas, todos voltaram para casa cheio de experiências, sensações, souvenires e histórias para contar. Isto sem falar nas amizades que foram formadas e na vontade de que chegue logo a próxima Viagem Cultural!”

Anúncios